Aproveite

:

sábado, 15 de abril de 2017

Procurado por integrantes do setor de tecnologia da Odebrecht para entregar o computador pessoal, o diretor do setor de Operações Estruturadas, responsável pela distribuição de propinas, Hilberto Mascarenhas tomou a decisão de se desfazer do aparelho jogando no mar, em Miami

A decisão foi revelada pelo ex-dirigente em delação premiada prestada no âmbito da Operação Lava Jato. No depoimento, os investigadores questionaram Mascarenhas sobre a destruição de provas e mudanças do setor para a República Dominicana
Ao falar sobre a entrega do laptop a um dos funcionários da área de tecnologia da empresa, Mascarenhas disse que não iria fazer o procedimento, uma vez que, no aparelho, além dos dados do setor, havia informações pessoais.
"Tentei tirar. Comprei um hard disk para poder gravar as coisas pessoais, mas não consegui porque na hora que disse que não ia entregar o computador, ele bloqueou as minhas senhas. Então, eu não conseguia ligar o computador. Desfiz do meu computador nessa viagem (a Miami) sem tirar minhas coisas pessoais e nem a da empresa", ressaltou o ex-dirigente.
Onde se desfez do aparelho? "Joguei no mar", ressaltou
Segundo ele, junto com computador, foi jogado o pendrive com o programa "Iron key", dispositivo que daria acesso ao banco de dados do setor de propina. Ao falar sobre o conteúdo que continha no computador pessoal e no celular da e empresa, o ex-diretor disse que não havia o costume de guardar muitas informações e alfinetou o ex-chefe Marcelo Odebrecht, ex-presidente da construtora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário