Aproveite

:

terça-feira, 4 de abril de 2017

O reboot de Power Rangers, famosa série dos anos 1990, apresenta uma heroína lésbica, a Ranger Amarela, Trini. O diretor do longa, Dean Israelite, afirma que a personagem, interpretada por Becky G, descobre sua identidade na história.
  • Calma, não será a vilã seu par romântico, ou será! rs
  • Power Rangers apresentará primeira heroína lésbica de Hollywood. A Ranger Amarela, Trini, questiona a sua sexualidade no longa, em cartaz nos cinemas brasileiros.
  • Depois de a Disney mostrar seu primeiro personagem gay em A Bela e a Fera, a Lionsgate decidiu seguir os mesmos passos.
  • O reboot de Power Rangers, famosa série infantojuvenil dos anos 1990, apresenta uma heroína lésbica, a Ranger Amarela, Trini. O diretor do longa, Dean Israelite, afirma que a personagem, interpretada por Becky G, descobre sua identidade na história.
  • Prova disso é uma cena específica do filme em que Trini se questiona sobre sua orientação sexual. O diretor também diz que a cena é fundamental para todos os adolescentes que querem entender quem são. "O filme está tentando dizer 'está tudo bem', e todas as crianças tem de saber quem são e achar sua tribo", afirmou o diretor, em entrevista ao portal norte-americano The Hollywood Reporter.
  • O ator David Yost, o Ranger azul na primeira versão da série, é gay e elogiou o reboot pelo tema inclusivo. "Acho que muitas pessoas da comunidade LGBT ficarão entusiasmadas ao ver essa representação", disse também aoThe Hollywood Reporter. Yost deixou a série em 1990 depois de sofrer assédio por causa de sua orientação sexual.
  • Na primeira versão de Power Rangers, a Ranger amarela foi interpretada durante 81 episódios pela atriz Thuy Trang, em 1993. Na época, a personagem foi retratada como hétero.
  • O longa estreia em 23 de março no Brasil e é a terceira adaptação da série para os cinemas. 
  • A primeira foi em 1995, produzida pela 20th Century Fox e dirigida por Bryan Spicer. A segunda, Turbo: Power Rangers 2, foi lançada em 1997 sob a direção de David Winning e Shuki Levy.


Nenhum comentário:

Postar um comentário