Aproveite

:

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

O manifesto ocorreu após promotores da Operação Lava Jato anunciarem que vão abandonar a força-tarefa caso o presidente Michel Temer (PMDB) não vete a Lei. O grupo é contra a aprovação das propostas dos deputados, que incluem, por exemplo, os magistrados na lei de abuso de autoridade.
  • O Conselho Nacional de Corregedores-Gerais do Ministério Público afirma, em nota pública de repúdio, que a Lei em tramitação desrespeita "a autonomia do Ministério Público e do Poder Judiciário, intimidando a atuação daqueles que combatem a corrupção e a prática de atos atentatórios à moralidade pública".
  • O documento afirma ainda que a Lei aprovada pela Câmara representa um retrocesso em relação às conquistas obtidas por toda a sociedade e que vão contra a própria iniciativa popular.

Nenhum comentário:

Postar um comentário