Aproveite

:

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Depois de processar o juiz federal Sérgio Moro e o delegado da PF Filipe Hille Pace, ex-presidente agora cobra na Justiça, em ação de danos morais, um dos coordenadores da Operação Lava Jato
  • Os advogados do petista informaram nesta quinta-feira, 15, que entraram com uma ação contra Deltan e pedem indenização de R$ 1 milhão por ‘danos morais’.
  • A defesa quer que o procurador seja condenado por causa da entrevista coletiva de 14 de setembro, na qual Deltan anunciou a primeira denúncia da Lava Jato, no Paraná, contra o ex-presidente com uso de power point. Na ocasião, Deltan atribuiu ao ex-presidente o papel de ‘comandante máximo’ do esquema de corrupção instalado na Petrobrás entre 2004 e 2014.
  • Para Lula, a entrevista ‘promoveu injustificáveis ataques à honra, imagem e reputação de nosso cliente, com abuso de autoridade’.
  • Nesta quinta-feira, 15, os procuradores da Lava Jato levaram ao juiz Moro mais uma denúncia criminal contra o ex-presidente que, supostamente, permitiu o ‘desvio de bilhões de reais’ em propinas para o PT, PMDB e PP. Os procuradores afirmam que propinas pagas pela Odebrecht, ‘no esquema liderado pelo ex-presidente’, chegaram a R$ 75 milhões em oito contratos com a Petrobrás e incluíram terreno de R$ 12,5 milhões para o Instituto Lula e apartamento cobertura de R$ 504 mil no edifício Hill House, em São Bernardo do Campo, onde Lula reside.
  • Esta é a quinta acusação formal que o Ministério Público Federal faz a Lula.

Nenhum comentário:

Postar um comentário