Aproveite

:

terça-feira, 29 de novembro de 2016

Qual é a diferença de vidas? Meus sentimentos aos familiares da chapecoense, o país precisa trocar qualquer político que se comporta como #pilantra e não respeita as pessoas.

O desastre da barragem da represa em Mariana deixou dezenas de mortos, a ex presidente Dilma não deu nem um dia de luto aos familiares. Ser insensível e indiferente a tragédia, desgraça alheia.
  • A barragem de Fundão se rompeu no dia 5 de novembro de 2015, destruindo o distrito de Bento Rodrigues, em Mariana, e afetando Águas Claras, Ponte do Gama, Paracatu e Pedras, além das cidades de Barra Longa e Rio Doce. 
  • Os rejeitos também atingiram mais de 40 cidades na Região Leste de Minas Gerais e no Espírito Santo. 
  • O desastre ambiental, considerado o maior e sem precedentes no Brasil.
  • Segundo o delegado Bustamente, as empresas Samarco, Vale e BHP, estas duas últimas como donas da primeira, e seus diretores têm responsabilidade sobre as mortes, que são consideradas crimes. 
  • "Hoje, podemos dizer que as empresas e seus diretores têm responsabilidades sim pelos crimes cometidos e no momento oportuno determinaremos a responsabilização criminal de cada um deles", disse o titular do inquérito. 
  • O delegado detalhou que as empresas podem ser responsalizadas pelo crime ambiental e os diretos e outros empregados podem responder criminalmente pelas mortes.
  • A Samarco, em nota, declarou que "repudia qualquer especulação sobre conhecimento prévio de risco iminente de ruptura na Barragem de Fundão. 
  • A Barragem de Fundão sempre foi declarada estável. 
  • Em nenhuma oportunidade, qualquer inspeção, avaliação, relatório de consultorias especializadas internas ou externas registraram ou fizeram qualquer advertência de que a operação da Barragem estivesse sujeita a qualquer risco de ruptura".

Nenhum comentário:

Postar um comentário