Aproveite

:

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Cabral reforçou sistema de segurança na unidade onde está preso no Rio. O ex-governador inaugurou um equipamento de raio-X que localizaria qualquer objeto escondido no corpo humano. 

  • O aparelho, de origem inglesa e único na América Latina, custou R$ 1,3 milhão aos cofres públicos. O presídio também ganhou 16 novas câmeras com monitoramento dentro do gabinete da direção do complexo, reforço nas cercas e 400 novas armas para cuidar, na época, de 5 mil e 500 presos. 
  • Junto ao então governador estavam diversas autoridades do Executivo e do Judiciário estadual.
  • Médicos sem pagamentos, Policiais sem pagamentos, Professores sem pagamentos, esse rato recebendo 500.000,00 reais por mês de mesada dinheiro de propina.
  • Há fortes indícios de cartelização de obras executadas com recursos federais, mediante o pagamento de propina a funcionários e a Sérgio Cabral", disse Lauro Coelho Junior, procurador do MPF no Rio de Janeiro, em entrevista coletiva.
  • Segundo o procurador, os pagamentos de mesada a Cabral ocorreram entre 2007 e 2014. "Em relação à Andrade Gutierrez, foi firmado que havia o pagamento de mesada de R$ 350 mil, isso pago por pelo menos um ano. Em relação à Carioca Engenharia, o pagamento de mesada foi de R$ 200 mil no primeiro mandato, e no segundo mandato de Sérgio Cabral, essa mesada subiu para R$ 500 mil por mês."
  • Coelho Junior afirmou que a Andrade Gutierrez pagou pelo menos R$ 7,7 milhões em propina. E a Carioca Engenharia pagou pelo menos R$ 32,5 milhões.
  • O juiz Sérgio Moro, que também decretou a prisão de Cabral, citou a atual situação de crise financeira do Estado do Rio de Janeiro para justificar a medida. 
  • Moro afirmou que seria uma afronta deixar que os investigados continuassem usufruindo dos recursos das supostas propinas. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário