Aproveite

:

domingo, 5 de fevereiro de 2017

Sérgio Moro: Congresso tem que mostrar em que lado

se encontra, As pessoas precisam ter fé nas instituições

democráticas

    Juiz Sergio Moro e a equipe das 10 medidas contra corrupção merecem ser muito bem remunerados pelo trabalho que eles tem feito e farão pelo País, nos livrando da corrupção. Continuem assim por favor nos precisamos de vocês, todo dinheiro que será devolvido e nos livrar dessa #Bandidagem que se acumulou ao longo dos anos nos roubando, não ha dinheiro que pague o bom trabalho de vocês, mas fica nossa gratidão.
  • O juiz federal Sérgio Moro disse que o Congresso Nacional deve "mostrar em que lado se encontra". Em evento sobre combate à corrupção, na na Assembleia Legislativa do Paraná, em Curitiba, nesta segunda-feira (24), Moro admitiu a possibilidade de retirar da proposta Dez Medidas de Combate à Corrupção, do Ministério Público Federal (MPF), o trecho que prevê a possibilidade de validação de provas ilícitas, contanto que obtidas de boa-fé.
  • "Em outras palavras, sem querer ser maniqueísta ou outra coisa que o valha, é o Congresso mostrar em que lado se encontra nesta equação", disse o juiz da Lava Jato. "Ninguém nunca imaginou discutir validação de confissão obtida sob tortura. Isso é um delírio. Mas se o problema é esse, tira essa parte, não me parece que é essencial. Ninguém tem a pretensão de apresentar isso como se fossem dez mandamentos ou coisa que o valha", avaliou.
  • Apesar de a frase sobre o Congresso Nacional ter sido dita em evento sobre combate à corrupção no âmbito das propostas do MPF, ela ocorre dias depois de vir à tona a operação da Polícia Federal, que prendeu na última sexta-feira (21) agentes da Polícia Legislativa após a ação destes para descobrir eventuais instalações de escutas nas residências de diversos parlamentares.
Na avaliação de Deltan, aprovar algumas, e não todas as medidas, não seria suficiente para inibir comportamentos ilícitos.
"De nada adianta aumentar a pena se ela demorar vinte anos para ser aplicada", ponderou. 
Deram uma missão ao Ministério Público de construir um arranhão-céu. Querem que nós cheguemos ao último andar, dos criminosos, corruptos e corruptores. Agora, na hora de construir o arranhão-céu, o que nós recebemos foi uma pilha de táboas, pregos e martelos. Não é possível. Precisamos de instrumentos para que a Justiça seja feita

Nenhum comentário:

Postar um comentário